Como são feitos os tecidos?

É fato que os tecidos estão por todas as partes, seja em nossas roupas, cortinas, sofás, e mesmo assim a maioria de nós subestima o papel que eles desempenham em nossas vidas. Não apenas em situações obvias, como a de nos proteger do frio. Os tecidos sempre tiveram um importante papel social e religioso, sendo possível até mesmo determinar o poder econômico de uma pessoa apenas olhando o material do qual as roupas são feitas.

A pele dos animais eram usadas por nossos ancestrais há milhares de anos e, devido à composição dos tecidos fabricados por eles, é raro o exemplar que tenha sobrevivido à passagem do tempo. Sendo assim muito difícil precisar quando teve inicio a produção têxtil.

Os fragmentos mais antigos de que temos conhecimento são de 6,5 mil a.C., que foram descobertos em Anatólia, atualmente conhecida como Turquia. No entanto, os arqueólogos encontraram no Oriente Médio placas de argila datadas do ano 8 mil a.C. que caracterizam o processo de fabricação de tecido. Também foram encontradas agulhas feitas de ossos para costurar roupas datadas de 18 mil a.C..

A seda teve início da sua produção na China por volta do ano 2,8 mil a.C.. A manufatura da seda deu origem ao surgimento das rotas de comércio e parcerias em todo o mundo. A fabricação do algodão e lã começou a se tornar popular por volta do século 1, mesma época que os teares se tornaram mais modernos e as primeiras rodas de fiar foram criadas.

Apenas durante a Revolução Industrial, entre os séculos 18 e 19, que os tecidos deixaram de ser fabricados maneira artesanal e passaram a ser produzidos com o auxilio de máquinas. A primeira fibra têxtil sintética, hoje conhecida como Raiom, surgiu na França no final do século 19, não demorando muito até que o nylon e o poliéster fossem desenvolvidos.

Para produzir os tecidos, é necessário primeiramente processar as fibras, sejam elas naturais ou sintéticas, em filamentos e linhas, e isso é feito por com o auxilio de máquinas que as enrolam. Conforme esse material é torcido, ele é armazenado em bobinas que, mais tarde, serão colocadas em um tear. Ele, por sua vez, entrelaça os filamentos e os transforma em panos.

Ainda existem muitos teares manuais, mas nas grandes fábricas de tecidos, esses equipamentos são modernos e controlados por computador. Sendo assim, necessário para produzir os panos, dois conjuntos de fios, um organizado na transversal e o outro na direção longitudinal, e o primeiro deles é esticado firmemente sobre uma estrutura de metal.

O segundo conjunto de fios é, então, conectado a um suporte que conta com uma série de barras, com um filamento por barra, e o computador do tear é quem determina como os fios devem ser entrecruzados para formar os padrões desejados.